Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





O conformado

por Henrique Monteiro, em 26.11.13

SAPO Notícias

Autoria e outros dados (tags, etc)

Anos de Cartoons

2008 | 2009 | 2010 | 2011 | 2012 | 2013 | 2014 | 2015 | 2016 | 2017 | 2018


5 comentários

Sem imagem de perfil

De tuga a 26.11.2013 às 11:02

Nao concordo.
Ha muito funcionario publico que trabalha e bem as ja muitas 35 horas. E ainda leva trabalho para casa. Veja-se, por exemplo, o caso dos professores. Alguem acredita que com 35 horas eles resolvem tudo na escola? Preparar as aulas e corrigir textes nao e trabalho??
Isto é gozar com quem trabalha!!
Claro que se tivermos a falar dos chefes, e um carton bem feito. Mas esses chegam as 10, cafe as 10:30, regresso as 11:30 almoço as 12, novo cafe as 15 e saem as 16. Nos intervalos vem o mail e redes sociais.
Cartonista reaçionario. Antigamente havia neste blog melhores cartoons
Sem imagem de perfil

De Anti Caranguejo Português a 26.11.2013 às 15:51

Anedota: Estava um português a pescar com um balde de caranguejos ao lado, passa outro tuga e diz: não tapas o balde para o caranguejo não fugir? E responde o outro: não é preciso. Isto é caranguejo português: quando um tenta subir, os outros todos puxam-no para baixo...

A estratégia de todo o governo inconpetente é dividir o seu povo para aplicar medidas más a um grupo de cada vez. O português como olha para o lado e vê alguém em melhor situação, puxa logo para baixo.

Este cartoon representa não o humor, mas sim essa parte retrógrada da população, que em vez de lutar por direitos no código de trabalho privado, olha para todos os que estão um bocadinho melhor e puxa-os para baixo. Tenho pena que este cartoonista pense assim.

E explico porque estão errados: A razão pela qual se industrializa e se desenvolve e há progresso e inovação, não é para que haja mais desempregados substituídos por máquinas, enquanto os poucos que ficam com trabalho, são explorados tanto em horários "flexíveis" como em ordenados ainda mais "elásticos".
A razão porque as sociedades escolheram este modelo é para que os horários de trabalho diminuam, mantendo-se os postos de trabalho.

Ao apoiarem-se ideologias conservadoras de direita, volta-se aos tempos de antigamente (ai tão bons que eles eram...) em que uns ganham o que não devem à custa de cunhas, outros são explorados em troca de restos (pois não há distribuição de riqueza através do ordenado), e outra grande parte como não tem trabalho, vive de enxada numa mão e miséria na outra.

Entretanto, como há menos gente a descontar, obviamente fazem-se cortes no estado social e voltamos à "sociedade participativa", que nem é sociedade nem é participativa, tipo Estados Unidos da América, onde como não há ensino público, muito menos de qualidade, ficam com um povo burro que nem umas portas; como não há saúde pública, ficam às portas de hospitais a morrer pois não têm dinheiro para os seguros privados, caso contrário, do seu ordenado mínimo não sobra dinheiro para comer.

Tudo está ligado e só com uma população unida por um bem melhor é que se vai a algum lado.

Já em Portugal não, temos antes 10 milhões todos agarrados à mesma corda com 10 milhões de pontas e cada um a puxar para o seu lado...

Com este aumento de 35 para 40 horas, acham que quem teve também cortes nos salários vai agora começar a trabalhar mais 14% por semana? Obviamente que não. A única coisa prática que vai suceder é que este governo de "génios" vai ter mais margem de manobra para despedir: polícias, médicos, enfermeiros, professores, bombeiros, fiscais, etc, todos esses funcionários públicos que são obviamente uma cambada de malandros quando comparados com os mestres da competência e produtividade do setor privado português...

Ao mesmo tempo que isto acontece, o verdadeiro problema continua a sangrar ainda mais o dinheiro público: os tachos e as negociatas dos 3 partidos do "arco de governabilidade", ou será antes "arco da tacho-solidariedade"?
Ainda agora ficámos a saber que todos os derrotados do PSD-Madeira já têm o seu tachinho, com patrocínio do "padrinho" A.J.Jardim.
Não há dinheiro para a saúde e tem de se fechar hospitais? Não faz mal, há uma fundação na Madeira que em nome do PSD faz... qualquer coisa e precisa desse dinheiro.
Não há dinheiro para pagar justamente a funcionários? Não faz mal, há uma gestora de um banco capitalizado que precisa de 500 mil € para o ordenado e de outro tanto para bónus.
Não há dinheiro para manter abertas empresa municipais, essas malandras que só sabem tratar da água, ou do lixo das populações... não faz mal, há uma empresa fantasma que não se sabe muito bem o que faz mas diz no site que é empreendedora em inglês e tudo. Vamos pôr lá o dinheiro. O quê? É gerida por ex-ministros e deputados? Pura coincidência.

Para finalizar, a solução: seguir o exemplo da Irlanda. Em Portugal so 3 partidos que governam já levaram o país à falência por 3 vezes. No entanto continuam à frente nas eleições. Portugal continua a ser também o único partido europeu com mais de 10% de comunistas no parlamento. Eles são incompetentes, mas levam sempre os mesmos vots. Na Irlanda, o partido que pediu o resgate também era histórico. Mas a diferença é esta: ERA historicamente maioritário. Agora passou para 3º... MUDEM
Imagem de perfil

De golimix a 26.11.2013 às 20:23

Nem em todos os locais é assim. E não podemos esquecer que algumas profissões envolvem stress, tais como : enfermagem, polícias,.... os médicos continuam com as 35 horas, afinal não podemos esquecer que têm o privado.
Imagem de perfil

De cristof a 26.11.2013 às 20:35

grande H.Monteiro!! excelente sintese e que bem.
Sem imagem de perfil

De Pedro a 28.11.2013 às 11:21

Boas! Concordo que alguns FP poderão andar muito pelo FB, mas se aparece trabalho feito é porque alguém o faz. Por causa deste estereotipo, os FP estão a ser muito mal tratados, como se de todos os males tivessem culpa ... Mas o que mesmo importa: Henrique, continua com o excelente trabalho.

Comentar post



Publicidade


No facebook


Cartoons Família e Desporto






Pesquisar cartoons

  Pesquisar no Blog