Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





A revolução de Cantona

por Henrique Monteiro, em 07.12.10

Publicado em SAPO Notícias

Autoria e outros dados (tags, etc)

Anos de Cartoons

2008 | 2009 | 2010 | 2011 | 2012 | 2013 | 2014 | 2015 | 2016 | 2017 | 2018 2019 2020 2021


11 comentários

Sem imagem de perfil

De Tania a 07.12.2010 às 19:06

Conheço várias pessoas com filhos portadores de deficiencias, que não recebem nada, vivem dos fundos dos pais ou do marido, só porque têm em seu nome uma casa para pagar ao banco e um carro maduro de velho.... E sim, não tenho problemas de falar sobre os estrangeiros, não sou contra procurarem uma vida melhor fora do pais deles, mas muitos quando vem para Portugal não sbem escrever nem ler, têm a sorte de se legalizarem, e depois podem estar até ou quatro ou seis anos (não tenho a certesa do tempo) a receber do estado para aprenderem a nossa lingua. Acha bem ? Diga me um pais onde isto acontece ! E sim, muitos portugueses ficam no estrangeiro porque os filhos ficam no pais que sempre conheceram . E os ciganos , o que fizeram para receberem do estado, a partir dos 18 anos um rendimento de reincerção social ? Ainda á pessoas a acreditarem na historia da carochinha !
Sem imagem de perfil

De cec a 08.12.2010 às 17:34

nunca gostei da carochinha. mas acredito que não devemos generalizar. já conheci ciganos bons e outros maus. mas piores são os ciganos que se autoproclamam agencias de rating e por aí fora. há boa gente em todo o lado e todas as provenicencias. e quer fazer me acreditar que os portugueses que foram la para fora dominavam o francês e tinham (para não dizerem têm) uma cultura e conhecimentos superiores em relação aos cidadãos dos paises de acolhimento? os portugueses sao das pessoas mais mesquinhas que já conheci para grnade tristeza minha. muitos portugueses ficam lá pelos filhos mas muitos mais pelas condições que lá têm. informe-se. e agradeço aos estrangeiros que para cá vêm e aprendem portugues porque quando aprendem aprendem mesmo. ora tal coisa não posso dizer de muitos portugueses que saem da universidade. torno a dizer: eu não me preocupo co mas migalhas. eu preocupo-me é com os dirigentes que transformam o que dou em lucros para os bolsos de uns e nada lhes acontece. eu trabalho, tenho um trabalh ode que gosto, sou recompensada por ele. isso me basta para ser feliz. não me ponho a pensar que poderia ter uam vida melhor só porque uns recebem x e outros y e sem trabalhar. eu ponho me a pensar é nas portuguesas que estudam para assistentes sociais e depois se deixam subornar por certas situaçoes. eu não acredito na carochinha porque acho indecente que uma mulher cative um marido porque tem dinheiro.
Sem imagem de perfil

De tania a 09.12.2010 às 10:29

Eu sei que não podemos generalizar, mas já assisti a tantas cenas onde trabalho e pelos sítios onde tenho passado , que estou por completo desiludida com o nosso pais... das poucas vezes que viajei, numa delas como dominava o inglês era bem tratada, completamente apaparicada , kd percebiam k eu traduzia a conversa ao meu marido, e se apercebiam, mudavam logo a forma connosco, noutra das viagens disseram me Portugal não está a ir no bom caminho...Tenho colegas que dão aulas, e enquanto vão para a escola de Opel os alunos, dos rendimentos mínimos vão de bmw audi e mercedes , na maternidade as colegas mais simpáticas foram as ciganas super educadas, tinham n coisinhas para os bebes, até câmaras de filmar levaram, mas receberam a segurança social, e poucas horas depois, um saco com roupinhas, que colocaram debaixo da cama.

Sim tens razão á quem roube muito mais, mas enquanto estas migalhas forem apanhadas não podemos falar.

Eu também trabalho, tenho o meu ordenado casa carros e muitos outros luxos que algumas não conceguem ter, mas trabalho e trabalho muito para isso, e começo cada vez mais a estar revoltada por todo aquilo que me vão tirando para situações absurdas. E sim acho k fazer obtas publicas não era má ideia , mas se tentarem usar mão de obra já paga pelo estado ias ver quantos aceitavam... como na cresce da minha filha, á falta de emprego eles estão a tenytar por pessoas e das trinta e tres que foram a entrevista, algumas começaram a por problemas e perderam o subsidio, depois queixavam-se e as que aceitaram dizem ser uma treta de trabalho.

A sério vamos ter sempre opinioes diferentes e eu respeito a tua, mas enquanto houver uns a roubar milhoes e muitos a roubar tostões que virão milhoes, não vamos a lado nenhum .

Comentar post



Publicidade


No facebook


Cartoons Família e Desporto






Pesquisar cartoons

  Pesquisar no Blog