Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Quem tem filhos...

por Henrique Monteiro, em 10.05.16

filhos1.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


9 comentários

Sem imagem de perfil

De M Á R I O J O Ã O CASTRO a 10.05.2016 às 09:18

"Quem tem filhos, tem cadilhos
quem não os tem, cadilhos tem"
Pais metidos em sarilhos
nas políticas de vai e vem!!!

-Pai, onde estão esses irmãos?
Se tenho tantos manos
espero que tenhas em mãos
futuros e bons planos!

-Não filho, não tenho
mas fica tão bem dizer isto
até as joias empenho
esse lobbie é um quisto!

-Então sempre tens tostão
já me podes inscrever
vais-me buscar no teu carrão
quero todos assim a ver!

-Não copies o teu pai
serve o lobbie do umbigo
agora sai daqui, vai
e não ligues ao que eu digo...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.05.2016 às 09:49

O problema está mal comentado. O problema é os filhos dos outros irem para colégios privados e nos continuarmos a pagar á mesma.
O problema é a "iniciativa privada" continuar a chuchar do estado.
Sem imagem de perfil

De MIguel Pereira a 10.05.2016 às 09:55

Infelizmente está pouco informado. Já agora quem tem filhos nos colégios privados não paga impostos para manter a escola pública? Aos 3 anos a minha filha teve que ir para um Colégio Privado porque quer os pais quer os avós tinham que trabalhar das 8h às 19 horas. Paguei 3 anos de infantário e os 4 anos do 1.ª ciclo. Durante estes 7 anos tive que continuar a pagar IRS, o Estado não quis saber se havia ou não sistema público para acolher a minha filha...
Só mais uma pergunta, o senhor sabe quanto custa ao Estado o aluno do publico e o aluno do privado? E já agora e qual o aproveitamento?
Sem imagem de perfil

De Zecapacete a 10.05.2016 às 10:38

Infelizmente não é só os colégios privados.
Sem imagem de perfil

De José a 10.05.2016 às 11:41

Ó gente da minha terra, acordai,acordai…Anda o estado está a financiar o privado, nada mau, em tempos de crise.
Quem quer ensino privado que acarrete com os custos…Ninguém está a privar vos de tal direito, assim como vós tendes todo o direito de pôr os vossos filhos no privado, assim os outros, têm o legítimo direito de não querer financiar com os seus impostos, os estudos dos vossos filhos.
Quem quer ter os filhos nos colégios que pague, pois é injusto para com os outros pais, que também têm os filhos nos colégios privados e pagam avultadas mensalidades, pois estamo-nos a esquecer que nem todos os colégios são financiados pelo estado. Basta consultar as listas do ministério da educação. Pois disto ninguém se lembrou….

Excelente iniciativa, esta de acabar com os contratos de associação,pois existem muitos professores com horário zero nas escolas,que pertencem ao quadro da função publica e que estão a serem “parcialmente pagos”, sem terem turmas atribuídas. Enquanto o estado está a financiar o privado, duplicação de custos, nada mau, em tempos de crise.
Sem falar daqueles professores, que se encontravam a contrato na escola pública, durante vários anos e foram despedidos.
Por outro lado, não há igualdade de oportunidades, pois os colégios seleccionam os alunos, entre outras coisas…
Que publiquem as listas dos alunos, para sabermos quantos alunos existem provenientes de bairros sociais, bem como de outras religiões ou etnias…
Quem já passou por situações destas sabe do que eu falo….
Concordo que os alunos, deveriam de poder escolher boas escolas.
Mas então, temos de mudar o tema desta polémica, temos que nos manifestar para que o Estado, financie todas as escolas privadas de qualidade e não só algumas.
Como foi divulgado ontem pela comunicação social,que do universo de todas as escolas privadas, só 79 delas recebem financiamento do estado... E então as outras… Também não prestam um serviço de qualidade…
E não estão a reivindicar ajudas...
Estamo-nos a esquecer que nem todos os colégios são financiados pelo estado. Basta consultar as listas do ministério da educação.
E não é isto que se está a defender com esta polémica…
Pelos visto o financiamento é só para alguns…
No meu entender o financiamento só se justifica, quando o estado não tem capacidade de resposta…
E se existe oferta pública não se justifica esbanjamento de dinheiros públicos.
E não é isto que se está a defender com esta polémica… Ou estarei enganado…
Um dos argumentos usados pelos pais, é que querem para os seus filhos um ensino de qualidade…
Também existem escolas de qualidade no serviço público. Até porque, se assim não fosse, não tinha-mos alguns dos professores que se encontram actualmente nas escolas privadas,a concorreram a escola pública, para passarem aos quadros do ministério da educação, passando a frente de outros colegas, com mais anos de serviço que já se encontram a leccionar no publico à vários anos… A ( mal fadada norma travão, criada pelo anterior ministro da educação), foram publicadas as listas na semana passada. Então vão desistir do ensino de qualidade...
Já não entendo nada, ou finjo não entender… Já me deu um nó na cabeça...
Ó minha gente, anda tanta agitação no ar…
Foram entregar cartas a argumentar o quê!!!
Aí se lhes foge a boca para a verdade...
Que têm sido beneficiados estes anos todos, em relação aos outros alunos...
Haja paciência... E muita lata...
Os que têm interesses nos colégios privados estão a fazer barulho e nós que temos interesse em defender a escola pública estamos calados… Ó gente da minha terra, acordai, acordai…
Sem imagem de perfil

De SantosDaCasa a 10.05.2016 às 12:01

Esta questão, por muito que se queira o contrário, não é assim tão simples e linear. As pessoas estão, isso sim esquecidas, já não sabem ou ainda ninguém lhes explicou uma longa história. Começando logo pelo fim... é que quem está agora a tenter "resolver" isto, em tempo de vacas magras mas ainda a ordenhar, são precisamente aqueles que usaram as reserva$ ali à mão de semear para... pagar a privados, fosse a ricos, fosse a pobres (eu lá os tinha nas salas...) e resolver de imediato os "alojamentos" ou "acondicionamentos" da população escolar discente que se avolumava pelo país fora e onde se atribuiam habilitações suficientes, "minimas" e outras a quem nem o curso dos liceus completara ainda... As situação prolongou-se até meados dos anos 90, ou por aí... (algumas habilitações, 5º ano das escolas comerciais e industriais, ficaram e continuaram como "próprias"... era o que havia e tinha que ser.... A história do financiamento do ensino particular e cooperativo ao longo das várias épocas ou fases; 1- imediatamente antes de abril de 74, ao sair e na continuação do boom da duplicação de toda a população escolar portuguesa na década de 1961-1971, bem como do próprios equipamentos escolares, 2- da época imediatamente a seguir a abril de 74, em 75, 76, 77, 78... depois da necessidade de acomodação dos regressados do ultramar, dado que nem salas de aula havia em número suficiente na rede escolar publica; ao mesmo tempo davam-se PARALELISMOS PEDAGÓGICOS, a colégios e externatos privados, com bastante mais independência que os actuais contratos de autonomia... 3- A época intermédia em que a população escolar quase estabilizou e se conviveu entre publico e privado, se fizeram reformas no secundário e se permitiu ou fomentou o ensino universitário/politécnico privado de forma exagerada (há agora equipamentos a fechar por não terem candidatos à frequência e ninguém reclama... mas tentam reconverter noutras formações...) 4- um passado recente em que por falta de planeamento e para continuar a usar benefícios "politicoeleitorais", se passou, ou quis passar do 80 para o 8 de formas absurdas e irracionais a começar pelos funcionários públicos que, inclui os docentes e onde toda a gente sabia haver excedentários avolumados ao estilo da Grécia... ex? -caso do ataque e das afrontas aos professores perpetrada pela Maria de Lurdes e Sócrates... (que cabem no pacote das necessidades antigas - do tempo de Bagão Félix - de reforma da segurança social conscientemente recusada pelos portugueses e que posteriormente, nunca chegaram a ser feitas...) Mas, mais fases haveria se dissecássemos o problema... O que é certo e sabido é que agora, falta o dinheiro, é necessário desfazer o que fizeram e toda a gente sabe e alguém naquela altura disse que estas reformas devem ser feitas quando há alguma estabilidade monetária para não estar sob pressão e urgências e agora, sem dinheiro e sob pressão da necessidade, uns estão a ficar contra os outros, misturam-se as razões e os conflitos (os rankings, por ex, são conflituosos e valem o que valem... mostram a realidade mas de forma deturpada... nem tudo é verdade nem tudo é mentira....) e vai sair uma má solução! desta vez, não generalizo o cartoon, porque pago impostos para a educação, não tenho filhos em idade escolar e as coisas na prática não funcionam assim; para não "pagar" o colégio dos outros, teríamos que viver antes da década de 70. (qualquer análise, nunca estaria completa e teria pequenas imprecisões... principalmente na parte do financiamento dos alunos nas escolas privadas e dos apoios/investimentos públicos na construção e licenciamento de equipamentos privados e que... não conheço bem)
Sem imagem de perfil

De Leonor a 10.05.2016 às 12:24

Tal e qual !!
Sem imagem de perfil

De Fonseca a 10.05.2016 às 12:57

muito mau!! patético !! até parece que quem tem filhos nas escolas comparticipadas não paga impostos, eu pago e não são poucos, o senhor cartonista parece que partilha a cartilha de Mário Nogueira da fenprof, faça um cartoon que questione o porquê de muitos pais não quererem os seus filhos na escola dita pública, pense nisso, eu por exemplo estou desiludido com o caminho que escola pública está a levar.
Sem imagem de perfil

De Conceição Pinto a 10.05.2016 às 13:48

Boa! O meu filho andou até ao 9º ano de escolaridade. Não tinha com quem o deixar depois das aulas acabarem, mas paguei sempre do meu salário. Nessa altura era um terço do meu vencimento.

Comentar post



Publicidade


No facebook





Pesquisar cartoons

  Pesquisar no Blog

Anos de Cartoons

2008 | 2009 | 2010 | 2011 | 2012 | 2013 | 2014 | 2015